REGIÕES

VOCÊ PODERÁ ENCONTRAR AQUI, ALGUMAS INFORMAÇÕES SOBRE AS PRINCIPAIS REGIÕES VINÍCOLAS DO MUNDO DAS QUAIS TRAZEMOS VINHOS ESPECIAIS.

Alentejo, Portugal

O Alentejo fica no sudeste do país, entre as cidades de Portalegre, ao norte, e Beja, ao sul. Entre as duas, no centro da região está à cidade de Évora, a principal da região.

A Região de Vinhos do Alentejo é uma das maiores regiões vinícolas de Portugal, com cerca de 22.000 hectares, correspondendo a dez por cento do total de vinha de Portugal.

Nos vinhos alentejanos pontuam as castas Trincadeira, Aragonez, Castelão e Alicante Bouschet, resultando em tintos encorpados, ricos em taninos e aromas a frutos silvestres. As castas brancas são a Roupeiro, a Antão Vaz e a Arinto, resultando em vinhos brancos geralmente suaves, com aromas a frutos tropicais.

A Região está subdividida em oito sub-regiões nas quais se produzem vinhos DOC: Reguengos, Borba, Redondo, Vidigueira, Évora, Granja-Amareleja, Portalegre e Moura. Apresenta também uma elevada produção de Vinho Regional, que permite a inclusão de outras castas, como Touriga Nacional, Cabernet Sauvignon, Syrah ou Chardonnay.

No Alentejo é produzido o Vinho Regional Alentejano e vinhos da DOC Alentejo. Junto com a Bairrada, é a região vinícola de maior ascensão, sobretudo no exterior, graças às inovações técnicas adotadas, melhorando sensivelmente a qualidade dos seus vinhos a cada ano que passa. A maioria dos vinhos alentejanos são jovens, de pouca guarda, fáceis de beber, especialmente os brancos. No entanto, muitos tintos são bem estruturados, entre os quais, pode-se encontrar alguns dos melhores vinhos do país.

Toscana, Itália

Podemos considerar duas grandes áreas de vinho na Toscana: A primeira, começa um pouco abaixo de Pisa nas colinas Pisane, e se estende pelas encostas do mar Tirreno até pouco abaixo de Grosseto. A segunda, têm como referência por Florença e Siena, com suas colinas centrais,e se extendendo em áreas até Montalcino e Montepulciano.

As áreas são divididas em duas classificações:
DOC e IGT. OS doc, seguem regras específicas quanto a maneira de produção, e tipo de uva utilizada. Os vinhos que não se submetem a esses parâmetros, levam a denominação IGT.

Na zona costeira, reina absoluto, o distrito de Bolgheri. De lá sai o Sassicaia. O rei dos vinhos da Itália. Ao lado dessa região, encontra-se Maremma, produtora igualmente de vinhos de qualidade, e considerada uma área de vinícolas sofisticadas.

Lá encontra-se Monteregio de Massa Maritima, uma DOC nova, onde predomina a uva Sangiovese, com cortes atraentes de Merlot e cabernet sauvignon o que valoriza as IGT.

Indicação geográfica típica
Denominação de origem controlada/garantida.

Bucelas, Portugal

A região de Bucelas,fica nos arredores de Lisboa, perto do estuário do Tejo no vale do rio Trancão. Comprende uma área de 40kms quadrados aproximadamente, com um clima temperado devido à proximidade do atlântico.

Muito famosa por seu vinho branco considerado entre os melhores de Portugal e feito com a uva da região, a arinto. A cultura do vinho foi lá introduzida pelos romanos. A região recebeu o título de DOC Bucelas.

A área geográfica correspondente à Denominação de Origem "Bucelas" abrange a freguesia de Bucelas e parte das e parte das freguesias de Fanhões (lugares de Fanhões, Ribas de Cima, Ribas de Baixo, Barras e Cocho) e de Santo Antão do Tojal (lugares de Pintéus, Meijoeira e Arneiro), do conselho de Loures.

Os brancos apresentam uma cor citrina, um sabor e aroma frutados e um tom ácido característica da casta Arinto.
São secos, leves e quando envelhecidos ganham um belo tom amarelo dourado e aromas terciários complexos.


Provence, França

A Provence situa-se no sudeste da França e estende-se desde a margem esquerda do Ródano até a margem direita do Var, onde limita com o antigo condado de Nice, na margem esquerda do rio. É banhada pelo Mediterrâneo.

Uma paisagem variada varrida pelo vento Mistral e um clima ensolarado, quente e seco conferem à região vinícola da Provence sua personalidade única, que se reflete em vinhos alegres e cativantes. Os vinhos da região do Var na Provence tem um terroir original a variadas cepas(castas) de personalidade forte.
Historicamente especializada em vinhos rosés leves, frutados e ricos, aqui se produzem também tintos marcantes, potentes e estruturados e brancos leves, macios e delicados.

O grande prestígio da Provence vem de seus vinhos rosés, produzidos com arte e dedicação por seus vinicultores. As colorações típicas são leves, em rosados delicados que podem ter tons de pêssego, rosa antigo e casca de cebola. Os vinhos rosés sugerem um estilo de vida alegre e descontraído, sendo ideais para aperitivo, refeições ao ar livre, pratos frios de verão, saladas e petiscos do mar.

Beaujolais, França

A região de Beaujolais, fica ao norte de Lyon na França. Os vinhos são classificados em Beaujolais A.O.C. (Denominação de Origem Controlada). São doze denominações, sendo dez crus. Os crus são Juliénas, Saint-Amour, Chénas, Moulin à Vent, Fleurie, Chiroubles, Régnié, Morgon, Côte de Brouilly e Brouilly ficam ao norte do vinhedo, formando a região de destaque. O Beaujolais e o Beaujolais Villages ocupam hectares maiores ao sul. A uva de Beaujolais é a Gamay.

A vinificação é conhecida como “Beaujolaise”, a colheita é manual e uva colhida com os cachos inteiros, e a maceração semi-carbônica.

Na técnica “beaujolaise”, os grãos não são esmagados e sim depositados numa cuba, a casca se desprende sozinha com a fermentação, onde liberam cor e os taninos. No final dessa fermentação, o suco é retirado e as uvas são prensadas. A seguir, os dois são reunidos novamente na cuba para que aconteça a segunda fermentação.

A região têm uma longa tradição vinícola, sendo muito conhecida. Mais recentemente lançou o popular Beaujolais nouveau.

O Beaujolais mais conhecido é o Beaujolais nouveau, um vinho jovem que fica pronto para o consumo aproximadamente dois meses após acolheita. A chegada do beaujolais nouveau é celebrada pelos franceses, que recebem o vinho simultaneamente sempre na terceira quinta-feira do mês de novembro. Sua chegada é anuncia da com a célebre frase O Novo Beajoulais chegou!

O Nouveau é um vinho muito frutado, leve e fresco. Deve acompanhar pratos igualmente leves e deve ser bebido a uma temperatura mais baixa que outros tintos: aproximadamente 14ºC. Deve ser consumido até seis meses da fabricação.